MONTALEGRE: Plano de ação para o Barroso Património Agrícola Mundial assinado no passado sábado

O Barroso, região que engloba os concelhos de Montalegre e Boticas foi classificado como Património Agrícola Mundial, o ano passado, uma distinção atribuída pela Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura, distingue a genuinidade do território com base na forma tradicional de trabalhar as terras, de tratar do gado e na entreajuda dos seus habitantes.
Neste âmbito, foi assinado no passado sábado, 26 de janeiro o acordo de Parceria para o GIAHS (Globally Important Agricultural Heritage Systems) do Barroso. O plano estratégico de intervenção, terá como pressupostos as premissas da FAO envolvendo ao total 14 entidades, desde autarquias, universidades, Ministério do Agricultura e Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas, numa cerimónia presidida pelo Ministro da Agricultura, Capoulas Santos que espera que não seja uma mera distinção, mas um instrumento de afirmação e desenvolvimento.

Por sua vez os autarcas de Montalegre e Boticas pediram ao governo medidas "diferenciadoras" para a região do Barroso, por ter características "diferentes e únicas" do resto do país.
Finda a cerimónia, foi tempo de ver, ao vivo este Património Agrícola Mundial, aberto ao público, e dinamizador da economia local, há já 28 anos. Saberes e sabores, presentes na Feira do Fumeiro, conservados de geração para geração, e que os barrosões, orgulhosamente teimam em manter vivos.